Fazer networking, definitivamente, é possível em qualquer lugar!

Pousei no aeroporto de Congonhas após uma viagem a trabalho e já saí do avião procurando uma tomada para carregar um pouco o celular pra chamar o Uber. E aqueles tótens cheios de tomadas fazem todas cadeiras ao redor deles ficarem ocupadas e você tem que realmente disputar um espaço por ali. Enfim, sentei ao lado de um rapaz que me pareceu conhecido num primeiro momento, mas tranquilo, achei que foi só impressão.

Pouco tempo depois, não aguentei e perguntei: “cara, tu estava no RD Summit em Floripa? Desculpa mas seu rosto é familiar”. O cara já quebrou o gelo, e confirmou que estava lá sim e começamos a comentar sobre a experiência de termos participado desse evento pela primeira vez.

Comentei com ele que palestrei lá sobre Marketing no Linkedin e nessa hora ele vira e comenta: “poxa cara, acredita que nem tenho Linkedin? Preciso, mas acho que não é pra mim não”. Comecei a explicar pra ele o que era a rede e aí ele soltou outra frase: “ah, bacana Cris. Mas tá tão corrida a vida que não tive ainda tempo de criar o meu, sabe como é né?”.

Sentindo uma certa liberdade nessa amizade de poucos minutos, virei pra ele e falei: “mas rapaz, tu tá aqui no aeroporto esperando sua conexão pra Salvador e vai ficar algumas horas aqui sentado. Seja sincero: há quanto tempo você tá tentando se distrair com Face e Instagram pro tempo passar? Quem quer monta um agora!”. Pensei que ia tomar até uma porrada na cara tamanha a ousadia!

Mas até que o cara foi tranquilo. Deu um sorriso sem graça e virou pro lado do tipo: “não quero mais papo não, brow”. Segui então aqui de boa e depois de uns 10 minutos ele me chama: “Cris, qual seu Linkedin? Baixei aqui e já criei meu perfil”. Pô, que show. E ele todo animado, dizendo que achou chefe, professor, tudo ali, e já começou a seguir várias páginas que ele curte e enquanto tô aqui escrevendo esse texto, ele já entrou também no grupo que criei aqui no Facebook só pra falar de Linkedin e tô só vendo ele aqui descendo a barra de rolagem e falando: “velho, Linkedin é massa”.

Seria apenas uma passada pelo aeroporto e uma parada pra carregar o celular. Mas o mundo e o universo são pequenos quando a gente não tem timidez e vê oportunidades de contatos, amizades e networking em qualquer lugar.

Me vi ali com aquela sensação de que, em alguns minutos, uma conversa pode mudar a rotina ou percepção de alguém sobre um produto, serviço, ou mesmo uma situação de vida. E compartilhar é preciso. E antes de ir embora o Thiago ainda me faz um pedido: “posso tirar uma foto contigo cara?”. Essa imagem (abaixo) vai marcar o dia que meu novo amigo chegou ao Linkedin. Adicionem ele aí pra começar a movimentar a rede dele: http://www.linkedin.com/in/thiago-freire-999627150 (ele falou que logo terá a URL personalizada, não se preocupem!).

Foto: Thiago Freire

E valeu pela atenção, caro leitor. Queria muito contar essa história pra vocês. Essa situação cotidiana inspirou a mim e ao Thiago Freire e com certeza pode trazer inspiração também a quem estiver lendo nesse momento. E a mensagem “filosófica e inspiradora” (ironia) que fica é:

“Nunca sabemos quem está do nosso lado usando a tomada para carregar o celular. Aproveite essa e qualquer outra oportunidade pra descobrir, então, a história de vida dessas pessoas”. SANTOS, Cristiano 🙂

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of